Há seis anos informando com ética e credibilidade
Principal   |   Noticias   |   Artigos   |   Fotos   |   Vídeos   |   Fale Conosco
Brasil|Regional|Economia|Política|Esporte|Policial|Emprego|Educação|Saúde|Tecnologia|Culinária|Entretenimento|Cultura
Leão: A partir de hoje, você contará com a energia poderosa do astro-rei em seu signo. O Sol vai fortalecer sua vitalidade física e mental. Mas não permita que imprevistos adiem a conquista dos seus sonhos ou atrapalhem seu desempenho profissional. Cor: vermelho.
Leão
22/07 à 22/08

04/11/2012 às 09h44m
Juliana Xavier: A parte que mais recompensa é o carinho das pessoas que acompanham nosso trabalho
Atriz concedeu entrevista nos estúdios da Rede Record

   Fotos: Divulgação    |    875 visualizações

Jéfferson Balbino/portaljnn

Recentemente foi ao ar o último capítulo da novela “Rebelde”, na Rede Record. E trouxemos como entrevistada uma das maiores revelações do elenco dessa novela, ela deu um show de interpretação do começo ao fim da trama ao viver a Bia. Porém, antes desse trabalho ela já se destacou em outras novelas e com marcantes personagens como a Jaci, da novela “Bicho do Mato”, e a Ágata na trilogia “Os Mutantes”. No dia 05 de Outubro, estive no RecNov pra entrevistá-la e na ocasião era o último dia de gravação dessa brilhante atriz, que embora tenha apenas 17 anos de idade, tem uma mentalidade tão impactante que me surpreendeu, tenho plena certeza que no futuro ela será uma estrela do porte de Glória Pires e Fernanda Montenegro, que por ocasião são suas ídolas. A “Entrevista Especial” do “No Mundo dos Famosos” de hoje é com a querida e talentosa atriz JULIANA XAVIER.
“Ao contrário do que muita gente pensa, eu acho sim, que as novelas e os atores tem uma responsabilidade social muito importante.” (Juliana Xavier)
Jéfferson Balbino: Juliana, começa nos contando como surgiu seu interesse pela carreira artística?

Juliana Xavier: Na verdade eu nunca busquei essa coisa de ser atriz, nunca procurei curso, não nasci com esse sonho de atuar e aí acabou acontecendo. Em Janeiro de 2006, eu vim aqui na Record fiz um teste pra uma novela chamada “Bicho do Mato”, que estreou em Junho, e daí eu passei e de repente eu morava em Penedo não sei se você conhece?

Jéfferson Balbino: Não!

Juliana Xavier: Fica no interior do RJ. E um dia eu jogando bola na rua com meu irmão me ligaram e falaram: “Lembra aquele teste que você fez? Então você passou! E a gente precisa de você aqui amanhã a tal hora”. E aí a gente se mudou pra cá, veio a família toda, aí a gente gravava em Xerém... Então assim que eu entrei nisso eu descobri um mundo mágico tanto que dessa novela principalmente eu tenho lembranças muito boas, muito mágicas que eu me apaixonei e apesar de ter sido uma coisa sem querer hoje eu sou muito apaixonada pelo o que eu faço, muito mesmo, e ao contrário do que eu fazia antes, que era não procurar cursos e não me interessar pela carreira de atriz, hoje já é totalmente ao contrário, tanto que já quero fazer Cinema, enfim to super dentro disso...

Jéfferson Balbino: Você é prima do autor Tiago Santiago, e sobrinha da atriz Helena Xavier e irmã dos atores Rick Tavares e Dharck Tavares. Como é pertence a esse clã artístico?

Juliana Xavier: Do Tiago Santiago eu sou prima e afilhada, ele é meu padrinho desde que era bebezinha mesmo, e eu cresci sabendo que ele vivia nesse mundo de escrever novelas e eu achava muito legal porque eu assistia as coisas que ele fazia, cheguei a pegar algumas novelas que ele colaboravam, porque pra cá mesmo na Record ele só veio em 2004, e apesar de conviver com isso, já que passava as férias com ele, via ele em reuniões, vendo ele encontrando artistas e tal, ainda assim eu nunca me interessava nisso, eu nunca me imaginava dentro disso só pelo fato dele trabalhar com isso. Já minha tia eu sempre soube que ela era atriz, que ela tinha feito muito sucesso antes, principalmente antes de vim aqui pra Record, e depois ela se dedicou mesmo a cuidar da família e dos filhos... Enfim, não sei se pode ser mesmo uma coisa que esteja no sangue (risos), mas sei lá, pode ser que esteja!

Jéfferson Balbino: Mas eles já chegaram a influenciar você?

Juliana Xavier: Na verdade o Rick começou a atuar depois de mim, já meu irmão mais velho, o Darck, sempre mexeu com teatro, sempre teve envolvido nessas coisas... Aliás, tem uma passagem até curiosa, quando a gente era pequeno a minha mãe não gostava muito que ele ficasse enfiado dentro do Teatro, porque era só o que ele fazia, até porque quem nasce apaixonado pelo teatro é só o que faz, vive enfiado dentro do teatro, e era assim que meu irmão era, e minha mãe não gostava muito e aí um dia ele falou: “Mãe, vou fazer um lanche com os meninos.”, e aí ele levou nós dois para o teatro, eu e o Rick, e aí a gente passou o dia todo no teatro, e lá não pegava sinal de celular e a minha mãe desesperada e acabou que a gente fez uma peça em segredo, a gente apresentou essa peça em segredo que foi “O Boi e o Burro no Caminho de Belém”, eu era bem pequeninha, o Rick era quatro anos mais velho do que eu, e tem esse irmão muito mais velho, então se eu tive alguma influencia de casa mesmo, pode ter sido do meu irmão mais velho, e o Rick começou a atuar depois que a gente veio aqui pro Rio, acho que ele começou a achar legal e aí a gente entrou junto pra fazer Tablado e depois que a gente estava fazendo Tablado há algum tempo, ele fez um teste também e entrou numa novela.

Jéfferson Balbino: Sua estreia na teledramaturgia brasileira ocorreu na novela “Bicho do Mato” (Rede Record/2006). Como foi essa primeira experiência? Houve alguma dificuldade em interpretar a índia Jaci?

Juliana Xavier: Dificuldade não! Dessa novela eu só tenho lembranças muito boas... Eu lembro que a Jaci era uma índia que ficava sendo disputada pela família branca e pela família de índios, já que ela vivia numa aldeia, e eu não tive nenhuma dificuldade até porque pra mim era uma enorme diversão, e daí no meio da novela eu comecei pegar algumas dicas e daí eu trabalhei com a Beatriz Segall...

Jéfferson Balbino: E como foi contracenar com a grande atriz Beatriz Segal que fazia sua avó na trama?

Juliana Xavier: Ah eu lembro que dava um friozinho na barriga, apesar de que eu continuo assim até hoje, quando eu entro no estúdio não tem jeito que me dá um frio na barriga, mas foi maravilhoso gravar com a Beatriz Segall, enfim eu só tenho lembranças boas dessa novela que pra mim não foi difícil. Na época dessa novela eu também fiz um workshop, um laboratório mesmo com um índio de verdade, a gente passou dois dias na casa dele, bem no meio do mato mesmo, eu o meu núcleo e mais dois produtores e a gente fazia fogueira, era muito legal, e todo dia a gente ia pra Xarém pra gravar a novela.

Jéfferson Balbino: Na sequencia você atuou na saga “Os Mutantes” (Rede Record/ 2007-2009). Como você se preparou pra interpretar a mutante Ágata?

Juliana Xavier: Então essa novela foi o primeiro trabalho que eu me preocupei mesmo em fazê-la e procurar algumas coisas que pudesse acrescentar na minha personalidade. Em “Caminhos do Coração” que foi a primeira novela da trilogia, assim que eu fiquei sabendo pela produção que eu ia estar na novela eu fiz aula de expressão corporal com um cara sensacional que me deu todos os macetes de como um águia se movimentava, uns trejeitos que eu tive que ter na novela pra não ser uma coisa só de efeito especial, foi bem legal me preparar com essas aulas que eu fiz de expressão corporal.

Jéfferson Balbino: E chegou a ser exaustivo participar dessa novela? Porque acho que teve no total mais de 600 capítulos né?

Juliana Xavier: Teve! Eu acho assim que todo produto mesmo que seja muito legal como era o caso de “Os Mutantes” tem um prazo de validade, não tem jeito. Não pra mim, porque se deixasse eu faria a novela por quanto tempo mais fosse já ate me perguntaram se era difícil manter o personagem nas várias fases da novela, e eu sempre respondia que não, porque chega a ser até mais fácil porque você se familiariza mais com o personagem, cria muito mais intimidade com ele e fica muito mais fácil interpretar. A única coisa que teve de exaustivo nessa novela, na minha opinião, pra mim foi a época que eu Juliana tive que gravar na praia, que era uma coisa que a minha personagem estava perdida 3, 4 meses numa ilha, com a mesma roupa, o mesmo cabelo, e a gente gravava muito no sol, e pegamos a época dezembro, janeiro e fevereiro, então exaustivo só nessa coisa do sol mesmo, de ter dado uma castigada já que não tinha protetor solar que salvasse a minha pele.

Jéfferson Balbino: E como foi na hora de se despedir da Ágata já que vocês ficaram quase 3 anos juntas?

Juliana Xavier: A gente quando fica muito tempo com o personagem se apega demais, sempre é muito complicado se despedir de um personagem, porque a gente sempre acaba levando um pouquinho daquele personagem e deixando um pouquinho da gente nele...

Jéfferson Balbino: O que é mais prazeroso na carreira de atriz?

Juliana Xavier: Eu acho que vim aqui gravar, entrar no estúdio, decorar a minha fala e dizer, eu acho isso muito prazeroso, todos os dias que eu venho aqui no RecNov eu venho com muito prazer. Mas com certeza a parte mais legal, que mais recompensa mesmo é o carinho das pessoas que acompanham o nosso trabalho, eu fico muito feliz quando eu recebo uma demonstração de carinho de uma pessoa que acompanha meu trabalho.

Jéfferson Balbino: Quais são suas perspectivas em relação ao seu futuro nessa profissão?

Juliana Xavier: Ah eu espero continuar atuando, fazendo o que eu gosto, espero me preparar pra isso, terminando o Colégio agora eu vou me preparar pra fazer a faculdade de Cinema, quero me dedicar ao teatro que é uma coisa que eu gosto muito, muito mesmo, tanto quanto a televisão, eu espero que de tudo certo e que eu continue podendo fazer o que eu gosto que é atuar (risos).

Jéfferson Balbino: Em sua opinião, qual é o papel da telenovela na sociedade?

Juliana Xavier: Então ao contrário do que muita gente pensa, eu acho sim, que as novelas e os atores tem uma responsabilidade social muito importante. A novela tem o sentido de mostrar a realidade conforme ela é, mostrar o que precisa ser feito, essas novelas que te liga ao povo de certa maneira eu acho importante, até porque mostram os problemas da sociedade e como podem ser resolvidos, no meu caso, por exemplo, aqui em “Rebelde” a gente teve o caso de alcoolismo do Alceu que foi muito bem tratada, eu já ouvi depoimentos de pessoas que chegaram até mim e que disseram ter passado pela mesma situação. Então eu acho que a responsabilidade social é grande nesse sentido, tanto do ator de passar essa mensagem, quanto do telespectador que é tão ligado em novela...

Jéfferson Balbino: Agora que “Rebelde” chegou ao fim, o que você pretende fazer?

Juliana Xavier: A principio penso em descansar, em relação à novela, a produtos da casa ainda não tenho nada em vista. Mas estou com projeto de uma peça desde o inicio desse ano que a gente esta tentando colocar pra junho do ano que vem, é uma peça legal, pra jovens, e assim que eu puder eu adianto mais... (risos)

Jéfferson Balbino: E como é a Juliana Xavier telespectadora? O que você vem assistindo na TV?

Juliana Xavier: Ah eu sou muito critica... Jéfferson,você acredita que as vezes conversando com alguns amigos eu falo: “Gente eu não consigo assistir um filme, uma novela e não apontar um erro de corte, a luz, a sombra...” (risos). É muito estranho isso, muito estranho. Eu acho que eu Juliana, sou muito critica com o que assisto. Mas o que é bom eu falo, eu elogio...

Jéfferson Balbino: Tem algum tipo de personagem que você adoraria interpretar?

Juliana Xavier: O de sempre, uma vilã, que é o sonho de qualquer ator, ter um vilão as mãos e mandar bem...

Jéfferson Balbino: Como você analisa o investimento que a Record vem fazendo na teledramaturgia?

Juliana Xavier: Eu como atriz, falando em relação a minha classe, para os atores, é muito bom, porque o mercado de trabalho fica mais amplo, é mais gente trabalhando, mais gente fazendo o que gosta, mais oportunidades, então valoriza a classe mesmo, e é bom a gente ter mais novelas e historias para serem contadas...

Jéfferson Balbino: Com essa movimentação no setor, você aceitaria um eventual convite pra trocar de emissora?

Juliana Xavier: Eu sou muito feliz aqui, estou aqui há 7 anos. E sempre fui muito feliz aqui na Record. Eu quero é trabalhar, não importa aonde. Mas estou muito feliz aqui.

Jéfferson Balbino: Entre todas as suas personagens, qual foi aquela que mais lhe satisfez?

Juliana Xavier: Não tem, eu guardo todas com muito carinho no coração, é como filho, todas tem uma coisa diferente, a Bia sofreu bulling, a Jaci vivia chorando porque não sabia com qual família ficava, enfim, gosto de todas...

Jéfferson Balbino: Que dica você deixa pra quem pretende seguir a carreira artística?

Juliana Xavier: Primeiro de tudo, estudar! E não desistir, nunca deve-se desistir com a primeira portada fechada na cara.

Jéfferson Balbino: Quais são seus ídolos na teledramaturgia?

Juliana Xavier: Podem falar o que quiserem, que eu puxo o saco, mas pra mim é meu padrinho, o Tiago Santiago, ele é sensacional. Eu acompanhei ele escrevendo os últimos capítulos de “Os Mutantes” e achei extremamente desgastante e ele fez o possível e o impossível pra ser muito legal, eu admiro muito ele, nesses dias estava vendo o nome dele no Wikipédia e vi as várias coisas que ele já fez e que eu nem sonhava, que ele já tinha feito, eu o admiro muito. E tem atores que eu adoro, pra mim Selton Mello é absurdo, qualquer filme do Selton que eu vejo eu adoro mesmo, a Glória Pires eu também gosto muito. E a Fernanda Montenegro que é a nossa diva, que aliás, eu fui assistir um monologo dela, e me impressionei porque foi uma hora e meia de monologo e ela sentada sozinha numa cadeira no meio do palco com um foco de luz na cabeça dela e ela chorava e todo mundo a aplaudia de pé...

Jéfferson Balbino: A Fernanda Montenegro então seria seu referencial nessa carreira?

Juliana Xavier: Sim, ela e a Glória Pires.

Jéfferson Balbino: Antes de finalizarmos a nossa tradicional pergunta: Quais foram às novelas que você mais gostou de assistir?

Juliana Xavier: Olha eu não sou noveleira, mas daqui da nossa emissora eu gostei muito das novelas de época “A Escrava Isaura” e “Essas Mulheres” E tem os sucessos que a gente não pode deixar de falar, é obvio que eu não acompanhei “Vale Tudo” quando passou originalmente, mas quando vi na reprise eu adorei! E das que eu atuei como telespectadora, eu adorei “Os Mutantes” a trilogia como um todo, que era dinâmica, principalmente da primeira “Caminhos do Coração”.

Jéfferson Balbino: Querida, foi uma honra entrevista-lá para o “No Mundo dos Famosos”. Parabéns pela brilhante carreira que você vem construindo, e muito mais sucesso! Beijos!!!

Juliana Xavier: Imagina Jéfferson, obrigada você! Beijos

Confira outras entrevistas e notícias de entretenimento em: www.nomundodosfamosos.com.br


De sua opinião comentando abaixo

21-07 Termina hoje prazo para pagamento do IPVA

21-07 PM cumpre mandado de prisão em Cambará

21-07 Após evento em clube, homem é agredido em Jacarezinho

21-07 Salão de Artes ficará aberto até o dia 21 de agosto
Comente no Facebook
página principal   |   notícias   |   galeria de fotos   |   artigos   |   vídeos   |   quem somos   |   fale conosco
2007 - 2014 ® Todos os Direiros Reservados