MENU

17/09/2021 às 21h38min - Atualizada em 18/09/2021 às 00h01min

Familiares prestam depoimento sobre morte de jovem baleado em abordagem da Guarda Municipal, no Largo da Ordem

Mateus Silva Noga morreu baleado, e outras duas pessoas ficaram feridas durante uma confusão, em Curitiba, no sábado (11); guarda municipal que atirou foi afastado.

G1 - Norte, Nordeste PR
https://g1.globo.com/pr/parana/noticia/2021/09/17/familiares-prestam-depoimento-sobre-morte-de-jovem-baleado-em-abordagem-da-guarda-municipal-no-largo-da-ordem.ghtml

Mateus Silva Noga morreu baleado, e outras duas pessoas ficaram feridas durante uma confusão, em Curitiba, no sábado (11); guarda municipal que atirou foi afastado. Familiares de Mateus Noga prestam depoimento sobre a morte do jovem
Familiares de Mateus Silva Noga, de 22 anos, que morreu baleado durante uma abordagem da Guarda Municipal de Curitiba, no sábado (11), prestaram depoimento à Polícia Civil sobre o caso, nesta sexta-feira (17).
Segundo a polícia, foram ouvidos o pai do jovem e um tio, que estava com Mateus no momento da confusão, registrada no Largo da Ordem, no Centro de Curitiba. Ele comentou que o jovem foi baleado pelas costas.
"Desceram dois agentes, com as armas e já houve dois estampidos", comentou Nivaldo Noga, tio da vítima, sobre o momento em que tiros foram disparados pela guarda.
A confusão aconteceu quando uma equipe da guarda municipal abordava um grupo de pessoas reunidas no Largo. Os agentes relataram em Boletim de Ocorrência (B.O.) que foi recebida no local com garrafas arremessadas pelo grupo.
Durante a confusão, Mateus Silva Noga foi baleado. Ele chegou a ser socorrido mas morreu no hospital. Uma adolescente, de 14 anos, e uma mulher, de 31 anos, ficaram feridas.
Jovem é baleado e morre, após confusão no Largo da Ordem
A polícia também informou que a adolescente e a mulher feridas também prestaram depoimento. A família de Mateus entregou as roupas que ele usava na ocasião à policia.
A equipe destacou no boletim que um dos agentes trocou a munição da arma por uma menos letal antes de efetuar os disparos.
Mateus Silva Noga morreu baleado durante uma abordagem da Guarda Municipal de Curitiba, no Largo da Ordem
Reprodução/RPC
O guarda apontado como autor dos disparos foi afastado, e a arma que ele usava na ocorrência foi recolhida. Segundo Carlos Santos Júnior, comandante da Guarda Municipal, somente o exame de criminalística poderá dizer se o tiro que matou o jovem partiu da arma do guarda.
O agente prestou depoimento à corregedoria da corporação e deve ser o último a ser ouvido na investigação da Polícia Civil.
De acordo com a delegada Daniela Andrade, os depoimentos e a análise de imagens de câmeras de monitoramento vão embasar a investigação para apurar se houve homicídio culposo, quando não há intenção de matar, ou se houve homicídio com dolo eventual, quando o autor assume o risco de que o crime ocorra.
Mateus Silva Noga, de 22 anos, morreu baleado durante confusão no Largo da Ordem, em Curitiba
Reprodução/RPC
Troca de munição
No boletim de ocorrência, os guardas relataram que havia "uma situação de confusão generalizada ocorrendo na frente da igreja do rosário. Várias pessoas se agredindo e, neste momento, a equipe tentava controlar a situação".
Guarda municipal que atirou durante confusão no Largo da Ordem é afastado
Conforme relatado pela equipe de guardas, os tiros foram disparados "a uma distância de cerca de 20 metros de onde estava ocorrendo as agressões", e que, após os disparos, "a multidão que era de cerca de 400 pessoas se dispersou".
A equipe relatou ainda que, após alguns minutos, a foi "abordada pela senhora informando que sua filha estava ferida. A equipe efetuou os primeiros atendimentos sendo acionado o Siate."
A Corregedoria da Guarda Municipal informou que deu início a uma investigação para apurar os fatos e responsabilidades.
O advogado Samuel Ramos, que representa o guarda afastado, disse que ele agiu conforme o treinamento da corporação. A defesa do guarda municipal Alessandro Toso informou ainda que ele vai se apresentar espontaneamente na delegacia, e que a defesa está acompanhando o procedimento aberto na Corregedoria da Guarda Municipal de Curitiba.
Investigação
A mãe da adolescente que foi baleada na confusão disse que ouviu barulhos de garrafas quebrando e que as duas, então, correram. Segundo ela, foi quando vieram os disparos, que ela acredita que ocorreram para controlar a multidão.
Segundo a mãe da menina, um pouco depois, a adolescente avisou que havia sido atingida nas nádegas e no braço. A mãe relatou que os guardas a socorreram e chamaram o Corpo de Bombeiros. A menina foi levada ao hospital e teve alta poucas horas depois.
A mãe da adolescente deve prestar depoimento à Polícia Civil nesta quarta-feira (15).
A delegada responsável pelo caso, Daniela Antunes, preferiu não gravar entrevistas, mas a polícia informou que os trabalhos de apuração do caso começaram.
A advogada Eliana Faustino, da defesa da família do jovem que morreu, disse que a família vai buscar a responsabilização criminal do guarda municipal envolvido.
"A família não entende porque Matheus foi alvejado pelas costas, no momento em que estava indo embora, de uma praça, em um sábado à noite, no Centro de Curitiba. A família espera que justiça seja feita", disse a advogada.
Um outro jovem, que estava com Matheus no momento da confusão afirmou que não houve agressão contra a equipe da guarda. Segundo ele, a vítima foi atingida por um tiro de calibre 12, quando eles viravam as costas para ir embora.
O comandante da Guarda Municipal afirmou que, em casos de confusão envolvendo público, como no caso registrado no Largo da Ordem, os guardas são treinados para utilizarem munição menos letal.
"Os guardas municipais são treinados para usar armamentos, tanto revólver, pistola como calibre 12. Essa calibre 12 pode ser com munição letal e munição menos letal. No controle de situações com civis, nós usamos a munição menos letal", concluiu.
Roupas de jovem morto a tiros no Largo da Ordem, em Curitiba
Reprodução/RPC
Câmeras de segurança instaladas no local não tiveram as imagens divulgadas pela Prefeitura de Curitiba, que informou que não divulga os materiais para preservar a identidade das pessoas envolvidas.
A investigação da Corregedoria da Guarda Municipal. As imagens captadas pelas câmeras do local, segundo a corporação, foram entregues à corregedoria e à polícia.
O Ministério Público do Paraná (MP-PR) também disse que irá apurar a situação.
Assista aos vídeos mais acessados do G1 PR
Veja mais notícias do estado no G1 Paraná.

Fonte: https://g1.globo.com/pr/parana/noticia/2021/09/17/familiares-prestam-depoimento-sobre-morte-de-jovem-baleado-em-abordagem-da-guarda-municipal-no-largo-da-ordem.ghtml
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp