MENU

19/10/2021 às 09h17min - Atualizada em 19/10/2021 às 09h17min

​Athena ou Pandora? População pode escolher nome da nova onça-parda de Curitiba

Suspeita é que ela tenha sido vítima de atropelamento. Recebeu tratamento e foi encaminhada ao zoológico da Capital. A iniciativa da secretaria estadual do Desenvolvimento Sustentável e do Turismo tem o objetivo de envolver os paranaenses e despertar o cuidado para a fauna no Estado

Agência Estadual de Notícias
Agência Estadual de Notícias
Os paranaenses podem ajudar a escolher o nome completo da onça-parda encaminhada para o Zoológico de Curitiba na última semana. A iniciativa é da Secretaria estadual do Desenvolvimento Sustentável e do Turismo, por meio do Instituto Água e Terra (IAT), em parceria com a prefeitura da Capital.

A onça-parda passou por quatro meses de tratamento no Cafs UniFil, unidade parceira do IAT no atendimento à fauna silvestre, em Londrina, no Norte do Estado. Encontrada na PR-151, próximo a Ribeirão Claro, no Norte Pioneiro, a suspeita é que ela tenha sido vítima de atropelamento.

No Centro de Atendimento à Fauna Silvestre, ela foi tratada pelo nome de Mali. O objetivo agora, como parte da Política Estadual de Educação Ambiental do IAT, é que a população escolha um segundo nome para ela, de forma a despertar o cuidado para a fauna silvestre.

Para a escolha do nome da onça-parda, é possível votar em duas opções, uma sugerida pelos funcionários do Zoológico de Curitiba, local de residência definitiva do animal, e outra escolhida pelos funcionários da Secretaria do Desenvolvimento Sustentável e do Turismo, em votação interna.

As sugestões são Mali Athena e Mali Pandora.

Inicialmente em quarentena, a onça será encaminhada para visitação pública no Zoológico e poderá ser vista por todos que visitarem o local.

“Manter o nome que ela já vinha sendo chamada durante os quatro meses de tratamento no CAFS é importante para a recuperação da onça e continuidade do seu tratamento. Mas a campanha é importante para que toda a comunidade se sinta parte dessa história”, disse a chefe do setor de Fauna do IAT, Paula Vidolin.

CAMPANHA – Mali passou por um tratamento com células-tronco no Cafs UniFil e ainda apresenta pequenos sinais de problemas neurológicos. Além disso, o fato de ela ser encontrada sem a mãe, muito nova, faz com que não consiga mais desenvolver o instinto de caça, necessário para sobreviver no seu habitat.

COMO PARTICIPAR – A população pode realizar a votação até a próxima quinta-feira (21) no site www.sedest.pr.gov.br/Formulario/Vamos-dar-um-sobrenome-oncinha-Mali. O questionário foi desenvolvido pela Companhia de Tecnologia da Informação e Comunicação do Paraná (Celepar) e pode ser acessada por qualquer dispositivo.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp