MENU

03/11/2021 às 23h00min - Atualizada em 04/11/2021 às 00h00min

Partido Novo lança cientista político Felipe d'Ávila como pré-candidato à Presidência

Pré-candidato de 58 anos defende a privatização de todas empresas estatais e afirma ter 'nojo' de populismo na política.

G1
https://g1.globo.com/politica/noticia/2021/11/03/partido-novo-lanca-felipe-davila-como-pre-candidato-a-presidencia-da-republica.ghtml

Pré-candidato de 58 anos defende a privatização de todas empresas estatais e afirma ter 'nojo' de populismo na política. O cientista político Felipe d'Avila em evento de lançamento da pré-candidatura dele a presidente da República em Brasília
Dida Sampaio/Estadão Conteúdo
O partido Novo lançou nesta quarta-feira (3) o cientista político Felipe d'Ávila, 58 anos, como pré-candidato da legenda à Presidência da República, nas eleições gerais de 2022.
O anúncio da pré-candidatura ocorreu durante evento em Brasília, do qual participaram deputados filiados ao Novo e o presidente da sigla, Eduardo Ribeiro. O único governador filiado ao partido, Romeu Zema, de Minas Gerais, não participou do evento, mas mandou um vídeo de apoio.
Se confirmar a candidatura de Felipe d'Avila na eleição presidencial do próximo ano, será a segunda vez que o Novo participará de uma eleição presidencial. Em 2018, o ex-presidente da sigla João Amoêdo disputou o pleito. Ele ficou em quinto lugar, com 2,5% dos votos, superado no primeiro turno por Jair Bolsonaro (à época no PSL); Fernando Haddad (PT), Ciro Gomes (PDT) e Geraldo Alckmin (PSDB).
Privatização de estatais
No evento de lançamento da pré-candidatura ao Palácio do Planalto, Felipe d'Ávila discursou por cerca de 20 minutos. No pronunciamento teceu críticas ao que chamou de populismo na política, de esquerda e de direita.
"O populismo de esquerda arruinou a moral e a ética na política. É o pai do mensalão, petróleo, do uso das estatais para benefício de projetos próprios de partidos. O populismo de direita piorou ainda mais a situação introduzindo duas variáveis: a incompetência na gestão pública e a indignidade", afirmou o cientista político.
Em referência ao ex-presidente da Câmara Ulysses Guimarães, em quem afirma se inspirar, Felipe d'Ávila disse ter "nojo" de populismo na política, prática que, na avaliação do pré-candidato, leva ao patrimonialismo, ao corporativismo e a o clientelismo (troca de favores).
"Ulysses disse que tinha nojo da ditadura. Pois eu tenho nojo desse populismo. Esse Brasil não podemos mais tolerar, podemos tolerar apenas o Brasil da democracia", disse.
Pleiteante a candidato da chamada "terceira via", uma alternativa a Jair Bolsonaro e ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, d'Ávila afirmou que é o momento de os candidatos se apresentarem à população.
"Peço paciência. Quem vai definir qual o discurso que conecta com as pessoas é o povo. Não é a política de conchavo. Aguardem. Esperem. Fomentem o bom debate. Nós do Novo não temos medo da competição, gostamos da competição do mercado", declarou.
Em entrevista, ele defendeu o Estado mínimo, reformas e a privatização de todas as empresas estatais, inclusive a Petrobras.
"Tem que privatizar todas as estatais. Nenhuma estatal consegue ser competitiva em nível internacional", avaliou.
Além de cientista político, Felipe d'Ávila tem mestrado em administração pública, é escritor, criador do Centro de Liderança Pública (CLP) e fundador do portal VirtuNews.
Possíveis candidatos
Como "terceira via", outros partidos articulam o lançamento de pré-candidaturas ao Palácio do Planalto, entre os quais o MDB, com a senadora Simone Tebet (MDB-MS); o Podemos, com o ex-juiz Sergio Moro; o PSD, com o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG); e o Cidadania, com o senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE).
O PSDB também deve lançar candidato ao Palácio do Planalto. Os governadores Eduardo Leite, do Rio Grande do Sul, e João Doria, de São Paulo, são os favoritos nas prévias da legenda, que também deve contar com o ex-prefeito de Manaus Arthur Virgílio Neto, na disputa.
Jair Bolsonaro deve disputar a reeleição, mas ainda não definiu por qual partido. O PT deve tentar retomar o poder com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Fonte: https://g1.globo.com/politica/noticia/2021/11/03/partido-novo-lanca-felipe-davila-como-pre-candidato-a-presidencia-da-republica.ghtml
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp