MENU

10/11/2021 às 22h51min - Atualizada em 11/11/2021 às 00h00min

Acusado de matar ex-companheira grávida em Marialva é condenado a 25 anos e 10 meses de prisão

Emili da Silva Martins, de 18 anos, morreu depois de ser esfaqueada em 2019. Júri formado por seis mulheres e um homem ocorreu nesta quarta-feira (10).

G1
https://g1.globo.com/pr/norte-noroeste/noticia/2021/11/10/acusado-de-matar-ex-companheira-gravida-em-marialva-e-condenado-a-25-anos-e-10-meses-de-prisao.ghtml

Emili da Silva Martins, de 18 anos, morreu depois de ser esfaqueada em 2019. Júri formado por seis mulheres e um homem ocorreu nesta quarta-feira (10). Emili da Silva Martins, de 18 anos, foi morta após ser esfaqueada pelo ex-companheiro em Marialva
Reprodução/RPC
O acusado de matar a ex-companheira grávida, Emili da Silva Martins, em Marialva, na região norte do Paraná, foi condenado a 25 anos, dez meses e 15 dias de prisão. O júri ocorreu nesta quarta-feira (10).
Davi Brant, de 24 anos, foi condenado por homicídio duplamente qualificado, por motivo fútil e feminicídio, e por tentativa de estupro.
Emili foi atingida por dois golpes de faca, um perfurou o pulmão e o outro o ombro, em fevereiro de 2019. Ela foi deixada em uma estrada rural e só foi encontrada horas depois pela família.
Horas antes de morrer, grávida conta em vídeo como foi esfaqueada pelo ex: 'Saiu e me largou lá'
Primo de grávida esfaqueada por ex-companheiro mobiliza atrizes em vídeo contra feminicídio
Formado por seis mulheres e um homem, o júri decidiu que Davi é culpado pelas acusações. O condenado pode recorrer da decisão.
A juíza também manteve a prisão preventiva de Davi, que está detido desde fevereiro de 2019.
O g1 tenta contato com a defesa de Davi.
Vítima contou como tudo aconteceu
Levada para o hospital, a vítima chegou a contar para os policiais o que tinha acontecido. Horas depois do depoimento, Emily morreu. Veja abaixo o depoimento.
Quatro horas antes de morrer, grávida conta como foi esfaqueada pelo ex-companheiro
Ela estava grávida de quatro meses e o bebê também não pode ser ser salvo.
Os dois se relacionaram por quatro anos, tiveram uma filha e haviam terminado um mês antes do crime.
O ex-companheiro da vítima ficou na cadeia por um ano e três meses, mas está em prisão domiciliar por conta de um tratamento médico.
Para a polícia, ela relatou que foi chamada pelo ex-companheiro para conversar, e que imaginava que o assunto seria a filha dos dois.
A vítima contou que aceitou e foi conversar com Davi. Depois da conversa, segundo Emili, o ex-companheiro se ofereceu para dar uma carona a ela, que aceitou.
No caminho para casa, segundo o relato da vítima, o suspeito mudou o trajeto.
Ele parou o carro em uma área rural, uma lavoura. Neste local, de acordo com o depoimento, Davi tentou estuprar a vítima.
Para a polícia, Emili disse que, tentando escapar, saiu correndo e levou duas facadas, e foi deixada no local.
VÍDEOS: Mais assistidos do g1 PR
Veja mais notícias da região no g1 Norte e Noroeste.

Fonte: https://g1.globo.com/pr/norte-noroeste/noticia/2021/11/10/acusado-de-matar-ex-companheira-gravida-em-marialva-e-condenado-a-25-anos-e-10-meses-de-prisao.ghtml
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp