MENU

15/11/2021 às 11h46min - Atualizada em 15/11/2021 às 11h46min

UENP dá início a sétima edição da Mostra de Arte e Cultura Afro-brasileira

Abertura do evento contou com a apresentação musical de Vanessa Machado e Willians Alexandre

Assessoria
Assessoria
A sétima edição da Mostra de Arte e Cultura Afro-brasileira teve início nesta quinta-feira, 11, com a mesa redonda “Intersecções entre raça e trabalho: afro-empreendedorismo e ações afirmativas”. O evento, organizado pela Universidade Estadual do Norte do Paraná, por meio da Pró-Reitoria de Extensão e Cultura, em parceria com prefeituras da região e outras três universidades, traz o tema “Arte, rua e trabalho”.

Na abertura do evento, o vice-reitor da UENP, Fabiano Gonçalves Costa, destacou o importante histórico da Mostra. “Durante os últimos anos, pude observar o gradativo amadurecimento de um evento acadêmico que incorporava, cada vez mais, artistas da nossa região, o que permitiu à Mostra se tornar a maior festa afro-brasileira do Norte Pioneiro. Para esta edição, elegemos o tema ‘Arte, rua e trabalho’. Precisamos refletir sobre as relações de trabalho nas quais estão envolvidas a população negra, mais precisamente da nossa região. Que esta edição possa suscitar reflexões contundentes e, mais do que isso, possa suscitar o conhecimento de políticas já existentes e estratégias para que, enquanto região, possamos encontrar outros caminhos para avançar nessa pauta”, frisou.

O diretor do Instituto Federal do Paraná, Campus de Jacarezinho, Rodolfo Fiorucci, parabenizou a UENP pelo projeto. “É importante esse tipo de Mostra, que valoriza artistas negros e traz a importância desse grupo que construiu o país e que contribui até hoje com a nossa cultura, nossa produção, nossa economia e com nossa sociedade. Temos que fazer sempre esse enfrentamento e a UENP é sempre protagonista nesse papel de manter e defender a diversidade e de lutar contra os preconceitos e intolerâncias”, ressaltou.

“É de imensa importância que resgatemos toda a nossa cultura afro-brasileira. Vivemos momentos em que parece que perdemos algumas referências que foram tão fortemente construídas, e a Mostra vem para reforçar e trazer essa valorização de uma forma diferenciada, dentro de uma diversidade que tanto é buscada por todos nós”, disse a pró-reitora acadêmica do Centro Universitário Unifio, Glauka Archangelo.

Durante a cerimônia de abertura, o público pode conferir a apresentação musical de Vanessa Machado e Willians Alexandre. Em seguida, acompanharam a mesa redonda “Intersecções entre raça e trabalho: afro-empreendedorismo e ações afirmativas”, que discutiu a situação da população negra, sobretudo na região norte do Paraná, quais os espaços que ocupam no âmbito das instituições da região e quais as estratégias a comunidade negra e as demais instituições têm buscado para gerar oportunidade de emprego, logo, para gerar economia, numa sociedade estruturalmente racista.

A mesa redonda foi mediada pela professora Rosiney Vale (UENP) e composta pela professora Suelen Matos (UFPR), pelo professor Alexsandro Eleotério (UNESPAR) e pela gestora de recursos humanos da Generall Mills, Mariane Dias. Clique AQUI e assista a íntegra da abertura.

Programação
A programação do evento continua até 30 de novembro. Dia 12, a Mostra exibirá a terceira edição do Sarau da Negritude, com as apresentações culturais selecionadas pelo Edital de fomento lançado pela UENP. Domingo, dia 14, será lançada a série de curta-documentários intitulada “A cor do trabalho: Norte do Paraná”, com episódios divulgados em dias intercalados, às 17h.

Já no dia 17, às 19h30, mais uma mesa-redonda levará o debate a toda a comunidade: a escritora Sandra Maria Job (UFPA); o artista plástico Clóvis Affonso Costa (CACosta) e o ator e diretor de teatro, Heriveuto (Ribeirão Claro), discutirão as questões relacionadas à produção artística negra e as suas respectivas relações com o mercado de trabalho.

No dia de 20 de novembro, a partir das 10 horas, as instituições parceiras realizarão a publicação de conteúdos correspondentes à Alvorada dos Ojás – ação prevista para ser realizada no dia 19, às 19h30, na Praça São Benedito, em Jacarezinho.

A partir do dia 22, às 12h e às 17h, a Mostra lançará a exposição virtual de artes visuais, que será realizada até o encerramento do evento, com duas publicações diárias nas redes sociais da UENP e de todos os parceiros da Mostra.

No dia 27, está prevista para a cidade de Cornélio Procópio a inauguração do painel de grafite a ser realizado por meio de uma oficina com a comunidade negra procopense; bem como a realização de uma roda de capoeira com o grupo Angoleiros.

As ações semipresenciais, previstas para acontecerem em Cornélio Procópio e Jacarezinho nos dias 19, 20 e 27 estão sendo monitoradas pela comissão organizadora, que observa a (não) evolução dos casos de Covid-19. A depender do quadro epidemiológico, a programação desses dias será confirmada durante a programação.

Realização, Apoio e Patrocínio
A VII Mostra de Arte e Cultura Afro-brasileira é uma realização da UENP, do Instituto Federal do Paraná (IFPR), Campus Jacarezinho; da Universidade Tecnológica do Paraná (UTFPR), Campus de Cornélio Procópio; do Centro Universitário Unifio; e das prefeituras municipais de Andirá, Bandeirantes, Cornélio Procópio, Jacarezinho, Joaquim Távora, Nova Fátima, Santa Amélia, Santo Antônio da Platina, Santa Mariana, Ribeirão Claro e Ourinhos.

Além dos patrocínios das empresas General Mills e Açaí da Barra, o evento conta com o apoio dos NEABI’s da UENP e do IFPR, do DCE, da Defensoria Pública do Estado do Paraná, da ANEPRO, do Coletivo Ubuntu, da UTFPR, da CNX Produções, da Escola de Samba Acadêmicos Capiau e do Grupo de Capoeira Angoleiros.

Durante as transmissões do evento, a empresa General Mills disponibilizará um QR Code para o recebimento de currículos de pessoas negras da região, que poderão, a qualquer tempo, ser convidadas a fazerem entrevista na empresa.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp