MENU

03/12/2021 às 19h55min - Atualizada em 04/12/2021 às 00h50min

Polícia identifica suspeito de invadir mesquita de Ponta Grossa e queimar Alcorão

Homem de 34 anos foi interrogado nesta sexta-feira (3). De acordo com a Polícia Civil, suspeito vive em situação de rua, é usuário de drogas e aparenta ter distúrbio mental.

G1 - Norte, Nordeste PR
https://g1.globo.com/pr/parana/noticia/2021/12/03/policia-identifica-suspeito-de-invadir-mesquita-de-ponta-grossa-e-queimar-alcorao.ghtml

Homem de 34 anos foi interrogado nesta sexta-feira (3). De acordo com a Polícia Civil, suspeito vive em situação de rua, é usuário de drogas e aparenta ter distúrbio mental. Mesquita de Ponta Grossa foi invadida dia 26 de novembro
Divulgação/PCPR
Um homem de 34 anos que vive em situação de rua foi identificado pela Polícia Civil como o suspeito de ter invadido uma mesquita em Ponta Grossa, nos Campos Gerais do Paraná, e queimado um exemplar do Alcorão.
O caso aconteceu em 26 de novembro.
Segundo a polícia, o suspeito é usuário de drogas, tem histórico de crimes patrimoniais e aparenta ter distúrbio mental.
O homem foi identificado com a ajuda de imagens de câmeras de segurança. Nas imagens, registradas por estabelecimentos da região, é possível ver o suspeito caminhando à mesquita e pulando a cerca do local. Veja abaixo.
Polícia divulga imagens de suspeito de invadir mesquita no Paraná
Após analisarem as imagens, policiais realizaram buscas pelo centro da cidade e encontraram o suspeito.
A Polícia Civil informou que o homem admitiu o crime durante o interrogatório. O nome dele não foi divulgado pela polícia.
Mesquita foi invadida, em Ponta Grossa, e suspeito queimou Alcorão, segundo a diretoria
André Salamucha/RPC
O crime
Segundo os responsáveis pelo local, um exemplar do Alcorão foi queimado e fogo também foi ateado em um quadro que descrevia as bases do islamismo.
Uma porta lateral da mesquita foi arrombada, e os suspeitos quebraram cordões de oração, chamados de Masbaha.
Um carro que estava estacionado no local teve o rádio furtado.
"Foi como se queimassem um muçulmano por dentro. Queimar o alcorão é uma ofensa muito grande", disse Ali Mustapha Ataya, assessor jurídico da mesquita.
Estavam guardados no mesmo espaço aparelhos de televisão, de som, projetores e outros objetos de valor, mas nada foi furtado. Por este motivo e pelos objetos sagrados destruídos, os responsáveis pela mesquita acreditam que o caso se tratou de uma demonstração de ódio e intolerância religiosa.
Livro sagrado do Islã foi queimado, em invasão a uma mesquita, em Ponta Grossa
André Salamucha/RPC
"Quem pratica qualquer religião precisa ter tolerância com as outras, e quem não pratica nenhuma precisa ter respeito. Estou recebendo a solidariedade da nossa comunidade indignada em todo o Brasil e até do Irã. Nunca vimos aqui no país um caso como esse na nossa comunidade, com a queima de objetos sagrados", disse o sheik responsável, Mahmoud Shamsi.
O sistema de segurança da mesquita estava em manutenção, de acordo com o sheik. Por isso, as câmeras internas da mesquita acabaram não gravando a invasão.
VÍDEOS: Mais assistidos do g1 PR
Veja mais notícias da região em g1 Paraná

Fonte: https://g1.globo.com/pr/parana/noticia/2021/12/03/policia-identifica-suspeito-de-invadir-mesquita-de-ponta-grossa-e-queimar-alcorao.ghtml
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp