06/01/2022 às 11h45min - Atualizada em 06/01/2022 às 11h45min

​Jacarezinho não tem nenhum caso de H3N2 segundo a SESA

Paraná confirmou 113 novos casos e mais três óbitos pela influenza

Redação - PortalJNN
Agência Estadual de Notícias
O município de Jacarezinho, assim como Ribeirão Claro, Cambará, Andirá, entre outros da região não tem nenhum caso registrado até o momento de contaminação pela H3N2, vírus da Influenza A.

Segundo a Secretaria Estadual de Saúde (SESA), no estado são 375 casos. Na região do Norte Pioneiro oito municípios contabilizam 14 casos de H3N2.

As cidades de Bandeirantes (1 caso), Barra do Jacaré (1 caso), Cornélio Procópio (4 casos), Jundiai do Sul (2 casos), Nova Santa Bárbara (1 caso), Santana do Itararé (1 caso), Santo Antônio da Platina (3 casos) e São José da Boa Vista (1 caso) estão na lista da SESA.

Óbitos

Os novos óbitos no Paraná foram registrados nos municípios de Mandaguaçu (1) e Paranaguá (2) – um homem de 64 anos e duas mulheres de 77 e 79 anos, respectivamente. Os pacientes estavam internados, possuíam comorbidades e não tomaram a vacina contra a Influenza no ano passado.
No Estado, a transmissão da doença já é considerada comunitária – quando o contágio entre pessoas ocorre no mesmo território, entre indivíduos sem histórico de viagem e sem que seja possível definir a origem da transmissão.

O secretário de Estado da Saúde, Beto Preto, alertou sobre as medidas para evitar a contaminação. “Precisamos continuar nos cuidando com o uso de máscaras, álcool em gel e lavagem das mãos. Os casos têm aumentado consideravelmente todos os dias, acendendo um alerta para evitar uma possível epidemia de H3N2 no Paraná”, disse.

PANORAMA – Os dados divulgados pela Sesa nos últimos dias são extraídos do Gerenciador de Ambiente Laboratorial (GAL), alimentado pelos laboratórios de todo o Estado, tanto do Sistema Único de Saúde (SUS) quanto da iniciativa privada.

Já as informações do boletim da Influenza e demais vírus respiratórios no Paraná, publicados no site da Secretaria, são levantadas através da Vigilância Sentinela de Síndrome Gripal (SG) e da Vigilância Universal dos casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) hospitalizados, e os óbitos por meio do sistema de informação oficial de notificações por SRAG, SIVEP Gripe.

A Vigilância Sentinela de SG é composta por uma rede de 34 serviços de saúde para atendimento, que estão distribuídos em 22 Regionais de Saúde e 28 municípios no Estado. A Vigilância Universal de SRAG monitora os casos hospitalizados e óbitos. Ambas possuem o objetivo de identificar o comportamento dos vírus respiratórios, orientando os órgãos de saúde na tomada de decisão, frente à ocorrência de casos graves e surtos e auxiliando na escolha dos vírus que vão compor a próxima vacina da gripe a ser utilizada.

Portanto, os dados do Informe podem ser divergentes, uma vez que as informações extraídas do GAL são atualizadas de maneira mais rápida e, consequentemente, encaminhadas para os serviços de saúde para posterior investigação e inclusão das notificações no SIVEP Gripe.

Confira os dados no Estado.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp