03/06/2022 às 16h46min - Atualizada em 03/06/2022 às 16h46min

​Bases da PRE na região não serão desativadas, garante comandante

Informações sobre a possível desativação das unidades em Santo Antônio da Platina e Ibaiti vem trazendo preocupações para a população, autoridades e até mesmo ao meio policial

Gladys Santoro - Tá No Site
Arquivo / Antonio de Picolli
Desde o início desta semana, informações sobre a possível desativação das bases da Polícia Rodoviária Estadual em Santo Antônio da Platina e Ibaiti vem trazendo preocupações para a população de ambos os municípios, autoridades e até mesmo ao meio policial. Porém, o comandante da 2ª Companhia do Batalhão da Policia Rodoviária Estadual de Londrina, capitão Afonso Gonçalves Arantes Filho, garantiu que não haverá fechamento ou desativação das unidades, e sim um redirecionamento de atividades dos policiais que participarão da Operação Norte Seguro, que envolverá 96 municípios das regiões Norte e Norte Pioneiro do Paraná, totalizando cerca de 2.500 quilômetros de estradas estaduais.   O objetivo é combater a criminalidade e oferecer maior segurança aos usuários das rodovias.  A Operação foi detalhada na tarde desta quinta-feira (2), em um evento em Rolândia.

Para o Portal Tá No Site, o comandante explicou que os trabalhos devem ter início em cerca de 30 dias sem data para terminar. Policiais Militares Rodoviários dos 96 municípios se revezarão em bloqueios em diversos pontos das estradas envolvidas, de forma que as bases serão ocupadas pelo grupo que estiver em atividade nas proximidades, em horários diversos, mas principalmente, à noite. A meta é fechar o cerco à criminalidade que costuma ocorrer nas rodovias, como tráfico de drogas e de armas, entre outras atividades ilícitas. As áreas de atuação foram divididas por meio de um mapeamento de locais mais visados pela criminalidade, mas não serão divulgados, assim como não será informado o número de policiais que atuarão na operação. O comandante disse que a medida é de antecipação ao crime, ou seja, não se trata de uma atividade motivada pelo aumento desse tipo de ocorrência.   

Ainda de acordo com Arantes, a operação não vai prejudicar os serviços rotineiros da polícia rodoviária, como fiscalização de veículos e atendimento a acidentes, entre outros, o que tem sido motivo de preocupação da população. “No caso de um acidente, a ocorrência será atendida por quem estiver mais próximo. Ou até mesmo, por exemplo, policiais rodoviários de Londrina poderão atender uma chamada em Santo Antônio da Platina, ou mesmo, o contrário pode acontecer”, avisou.

Para que a Operação funcione sem atrapalhar a rotina, o comandante disse que haverá cerca de 80% de viaturas e de policiais atuando em diversos horários e localidades, conforme as necessidades apontadas em estatísticas. “Temos mapeamento de locais, horários, incidências tanto de acidentes, de volume de trânsito, assim como dos locais onde mais ocorrem crimes. Portanto, vamos nos antecipar colocando duas ou três viaturas nos pontos mais críticos”, avisou salientando que a atividade faz parte da formação da Policia Rodoviária. “Somos policiais militares, portanto a segurança pública também faz parte da nossa atuação”, disse salientando: “Não temos compromisso com o erro. Se percebermos que não está funcionando do jeito planejado, ou que a operação não está apresentando resultados positivos, podemos mudar as estratégias a qualquer momento”, concluiu.

Quando a Operação terminar, as bases voltarão à suas atividades normais, porém, o comandante garantiu que ela não tem data para acabar. 


 

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp