11/08/2022 às 12h19min - Atualizada em 11/08/2022 às 12h47min

Jornalista russa que protestou contra ofensiva na Ucrânia é condenada a dois meses de prisão domiciliar

Marina Ovsyannikova protestou em março durante a apresentação de um jornal de bancada em uma das principais emissoras estatais russas.

G1 Mundo
https://g1.globo.com/mundo/ucrania-russia/noticia/2022/08/11/jornalista-russa-que-protestou-contra-ofensiva-na-ucrania-e-condenada-a-dois-meses-de-prisao-domiciliar.ghtml



Marina Ovsyannikova protestou em março durante a apresentação de um jornal de bancada em uma das principais emissoras estatais russas. Marina Ovsyannikova depois de depoimento para a corte russa em 28 de julho de 2022
Evgenia Novozhenina/REUTERS
A jornalista russa Marina Ovsyannikova, que se tornou famosa por ter interrompido um telejornal de um canal estatal de seu país com um cartaz que protestava contra a ofensiva russa na Ucrânia, foi colocada em prisão domiciliar por dois meses na quinta-feira em um processo criminal em que é acusada de espalhar notícias falsas sobre as forças armadas da Rússia, segundo a agência de notícias Interfax citando um tribunal de Moscou.
Ovsyannikova já foi multada duas vezes em casos separados por protestar contra a guerra na Ucrânia
Marina Ovsyannikova depois de depoimento para a corte russa em 28 de julho de 2022
Evgenia Novozhenina/REUTERS
No caso mais recente, ela pode pegar até 10 anos de prisão se for considerada culpada de distribuir informações sobre o exército russo que diferem das contas do governo.
Refere-se a um protesto em julho, quando ela estava na margem de um rio em frente ao Kremlin e segurou um cartaz chamando o presidente Vladimir Putin de assassino e seus soldados de fascistas.
"Quantas crianças mais devem morrer antes que você pare?" lia-se no cartaz.
Relembre o caso
Funcionária de TV estatal russa invade programa para protestar contra a guerra na Ucrânia
Marina Ovsyannikova, à época funcionário da emissora estatal russa Canal 1, apareceu durante a transmissão de um programa ao vivo com um cartaz que dizia "Não acredite na propaganda. Eles estão mentindo pra vocês aqui." Enquanto mostrava o cartaz, Marina gritava "Parem com a guerra. Não à guerra".
Ela gravou uma mensagem separada de antemão na qual ela disse que tinha vergonha de ser uma funcionária do Canal 1.
“O que está acontecendo na Ucrânia é um crime e a Rússia é a agressora”, disse Marina, acrescentando que seu pai era ucraniano.
Jornalista que protestou ao vivo na TV russa gravou vídeo: 'Estou envergonhada pelas mentiras'
Depois disso, ela ainda chamou a atenção para a forma como a população russa responde às atitudes do Kremlin.
"Nós não protestamos quando o Kremlin envenenou Alexei Navalny. Nós silenciosamente observamos esse regime desumano. Agora o mundo inteiro virou as costas para nós, e nem dez gerações de nossos descendentes vão limpar essa guerra entre irmãos."

Fonte: https://g1.globo.com/mundo/ucrania-russia/noticia/2022/08/11/jornalista-russa-que-protestou-contra-ofensiva-na-ucrania-e-condenada-a-dois-meses-de-prisao-domiciliar.ghtml
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp