13/10/2022 às 19h47min - Atualizada em 14/10/2022 às 00h00min

Iraque elege novo presidente e primeiro-ministro, acabando com impasse de quase um ano

Votação foi a quarta tentativa de eleger presidente este ano. Horas antes de anúncio oficial, nove foguetes caíram em Bagdá e deixaram 10 pessoas feridas.

G1 Mundo
https://g1.globo.com/mundo/noticia/2022/10/13/iraque-elege-novo-presidente-e-primeiro-ministro-acabando-com-impasse-de-quase-um-ano.ghtml



Votação foi a quarta tentativa de eleger presidente este ano. Horas antes de anúncio oficial, nove foguetes caíram em Bagdá e deixaram 10 pessoas feridas. Abdul Latif Rashid, o recém-eleito presidente iraquiano, observa o parlamento iraquiano em Bagdá, Iraque, 13 de outubro de 2022
REUTERS/Ahmed Saad
O parlamento do Iraque elegeu nesta quinta-feira (13) o político curdo Abdul Latif Rashid como presidente, que imediatamente nomeou Mohammed Shia al-Sudani primeiro-ministro designado. A formação do novo governo bota fim ao impasse que começou após as eleições nacionais de outubro de 2021.
Rashid, 78, foi ministro iraquiano de recursos hídricos de 2003 a 2010. Engenheiro formado na Grã-Bretanha, ele venceu o ex-presidente Barham Salih, que estava concorrendo a um segundo mandato.
Ele convidou Sudani, o candidato do maior bloco parlamentar conhecido como Quadro de Coordenação, uma aliança de grupos alinhados ao Irã, para formar o governo. O novo premiê, que serviu anteriormente como ministro dos direitos humanos do Iraque, bem como ministro do trabalho e assuntos sociais, agora tem 30 dias para formar um gabinete e apresentá-lo ao parlamento para aprovação.
A votação de quinta-feira, que foi a quarta tentativa de eleger um presidente este ano, ocorreu pouco depois de nove foguetes terem caído em torno da Zona Verde, região considerada a mais segura de Bagdá. Pelo menos 10 pessoas, incluindo membros das forças de segurança, ficaram feridas no ataque, segundo fontes médicas e de segurança. Ataques semelhantes ocorreram no mês passado.
A sessão parlamentar desta quinta-feira acontece um ano depois de uma eleição na qual o clérigo muçulmano xiita populista, Moqtada al-Sadr, foi o maior vencedor. O candidato, no entanto, não conseguiu reunir apoio para formar um governo e, em agosto, retirou seus 73 parlamentares das respectivas funções e anunciou que deixaria a política.
Como consequência, Bagdá teve a maior onda de violência em anos. Partidários de Sadr invadiram o palácio do governo e lutaram contra grupos xiitas rivais, a maioria deles apoiados pelo Irã e com alas armadas.
Sadr, que não declarou seu próximo passo, tem um histórico de ações radicais, incluindo lutar contra as forças dos EUA, deixar gabinetes e protestar contra governos. O pessoal de segurança implantou postos de controle em toda a cidade, fechou pontes e praças e ergueu muros em algumas das pontes que levam à Zona Verde fortificada na quinta-feira.
“Agora os grupos apoiados pelo Irã estão dominando o parlamento, eles têm um judiciário amigável e dominaram o Executivo. Eles precisarão se beneficiar disso, uma maneira de se beneficiar é fazê-lo gradualmente ou de repente e tentar marginalizar ou expulsar os pró-sadristas dos aparelhos de estado, marginalizar ou expulsar pró-sadristas dos aparatos estatais”, disse Hamdi Malik, especialista em milícias xiitas do Iraque no Instituto de Washington. Segundo ele, a abordagem de como do assunto determinará a reação de Sadr.
Sob um sistema de compartilhamento de poder projetado para evitar conflitos sectários, o presidente do Iraque é curdo, seu primeiro-ministro é xiita e seu presidente do parlamento é sunita.
A presidência foi disputada entre os dois principais partidos do Curdistão iraquiano: o Partido Democrático do Curdistão (KDP), que indicou Rashid, e seu tradicional rival, a União Patriótica do Curdistão (PUK), que indicou Salih.
A eleição de Rashid levanta preocupações sobre a escalada das tensões entre o KDP e o PUK, que travaram uma guerra civil na década de 1990. "A relação entre o PUK e o KDP está em seu nível mais baixo", disse Zmkan Ali Saleem, professor assistente de ciência política da Universidade de Sulaimani.
"No entanto, a tensão não levará a uma ruptura no relacionamento entre as partes e eventualmente [a situação] se acalmará, porque Rashid é membro do PUK e sua esposa é uma figura poderosa dentro do partido", acrescentou o especialista.

Replicado material do portal G1 via RSS



Fonte: https://g1.globo.com/mundo/noticia/2022/10/13/iraque-elege-novo-presidente-e-primeiro-ministro-acabando-com-impasse-de-quase-um-ano.ghtml
Link
Comentários »
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp