MENU

02/10/2020 às 16h51min - Atualizada em 02/10/2020 às 16h51min

​Ribeirão Claro tem a menor taxa de Covid-19 em todo o Norte Pioneiro

Balanço da pandemia na região é feito pelos pesquisadores da Uenp

Micaela Orikasa - Grupo Folha
Arnaldo Alves - AEN
De todos os 46 municípios que formam o Norte Pioneiro, a menor taxa de contaminação da Covid-19 é registrada em Ribeirão Claro, com 187 casos por 100 mil habitantes e um óbito. A constatação é de docentes do colegiado de Geografia, da Uenp (Universidade Estadual do Norte do Paraná), que traçaram um mapa detalhado sobre os 200 dias da pandemia na região. 

A secretária municipal de Saúde, Thaise Cristhiane Bággio Paschoal, destaca que o índice é significativamente baixo, considerando que Ribeirão Claro faz limite com cidades que contabilizam hoje um alto número de pessoas infectadas pelo novo coronavírus. 

“Todos os 20 casos contabilizados até o momento no município são importados. Não há transmissão comunitária. Cremos que o sucesso no enfrentamento da pandemia se deve principalmente à população, que se uniu ao poder público na prevenção: aderiram ao uso das máscaras, em todo comércio está disponível o álcool 70% e todos têm respeitado o distanciamento social”, avalia. 

Ao total, foram descartados 590 casos até o fechamento do boletim de quarta-feira (30). “Ou seja, 5,5% da nossa população foi testada, utilizando os recursos de testes disponibilizados pelo Governo do Estado. Vamos estender nossas ações durante todo período de primavera e verão, pois somos um importante polo turístico na região. Em meio a muito trabalho e muita fé, seguimos confiantes de que esse momento difícil vai passar”, ressalta. 

Outros cinco municípios - Santa Amélia, Pinhalão, Congonhinhas, São Jerônimo da Serra e Figueira - têm taxas menores que 500 casos por cem mil habitantes. 

SESA

A diretora de Atenção e Vigilância em Saúde da Sesa (Secretaria de Estado da Saúde), Maria Goretti David Lopes, destacou que houve um acréscimo significativo da doença em todo o Paraná a partir do mês de agosto. “Mais que dobramos o número de casos em um único mês e essa pesquisa (da Uenp) vem de encontro com o que encontramos em todo o Estado. Fizemos o achatamento da curva até julho, mas não conseguimos o isolamento social como gostaríamos”, diz.  

Segundo ela, o índice de isolamento no Estado ficou em 50% pelo funcionamento das atividades essenciais e por parte da população que não respeitou a orientação de ficar em casa. “Isso impacta nos números, assim como as situações de surtos em estabelecimentos de saúde, frigoríficos e instituições de longa permanência e, que foram registradas nessas regiões (Norte Pioneiro). Infelizmente temos óbitos, mas o importante é que já começamos a estabilizar. Continuamos tendo casos, mas o ritmo é de desaceleração”, ressalta.  

Lopes disse ainda que o Paraná é o segundo estado da Federação que mais testa PCR, o que reflete no maior número de casos. “Estamos trabalhando muito na detecção precoce de novos surtos nos ambientes confinados para bloqueio rápidos, além do monitoramento e rastreio de contatos que estamos fazendo em parceira com a Organização Pan-Americana da Saúde para agirmos prontamente diante de uma confirmação. São duas grandes estratégias”, finaliza.

O Paraná chegou a 177.007 casos da Covid-19 na quarta-feira (30), com 4.441 mortes. (Com informações da Uenp).

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp