MENU

07/10/2020 às 10h44min - Atualizada em 08/10/2020 às 00h00min

Como uma paciente oncológica encontrou nos doces conventuais portugueses a inspiração para empreender

Em 2017, Ana de Assis recebeu um diagnóstico médico avassalador para qualquer mulher. Ela estava com câncer de mama. Sua determinação em sobreviver também deu vida a seu projeto empreendedor.

DINO
http://www.ateliedanata.com.br

Após 8 meses de protocolos severos como mastectomia, quimioterapia e radioterapia, aos poucos Ana voltou às suas atividades. Com a ajuda de muita fisioterapia e ajuda de amigos e familiares, recuperou a força do seu corpo e a saúde. Isso foi o bastante para retomar um projeto pessoal e profissional que ela sempre levou no coração, trabalhar com doces artesanais portugueses.

Ana de Assis então revisou as receitas familiares e começou a planejar seu próprio negócio. De olho no mercado de doces no Brasil, que chega a faturar 76 bilhões (dados da Associação Brasileira de Panificação e Confeitaria - Abip), concebeu o Ateliê da Nata , empregando técnicas da culinária moderna em receitas de doces conventuais tradicionais, criou um exclusivo processo de produção 100% artesanal e exaustivamente rigoroso. Um doce pode levar mais de 8 horas para ser feito, com cerca de 12 passos produtivos.

A empresária aposta na qualidade e o site da empresa logo informa: "Para aqueles que, como nós, valorizam a exclusividade da produção artesanal mas que não abrem mão da excelência na sua elaboração que só um verdadeiro profissional apaixonado pelo que faz entrega". Segundo o relatório de inteligência de 2019 do SEBRAE, este é um mercado em expansão, "o que antes poderia ser visto como um luxo ou até um produto inacessível, agora está virando moda em todo o país. O crescimento de confeitarias, lojas de bolo e docerias gourmets especializadas mostra que novos sabores são bem-vindos e até mesmo as receitas doces mais tradicionais podem ganhar novas versões".

Parece que a decisão da empresária em focar em doces conventuais foi assertiva e recentemente o Ateliê da Nata inaugurou sua primeira fábrica-loja na região da Barra Funda, São Paulo. O ponto serve como centro de produção e retirada dos pedidos que são feitos exclusivamente online, outra tendência, como indica um estudo da Agência Síbaris sobre resposta para combater os efeitos da Covid-19 no mercado gastronômico. Os clientes podem fazer pedidos por aplicativos de entrega de comida, WhatsApp, pelo próprio site da empresa ou até pelo Facebook e Instagram , canais onde os comentários positivos enchem o mural da marca com boas recomendações.

A proprietária garante, "quem já provou nossos doces portugueses, tanto o Pastel de Nata (mundialmente famoso como Pastel de Belém) como a singular Barriga de Freira (ou Barriguinha de Freira para os mais íntimos), não aceita outro se não o nosso, como o verdadeiro e autêntico sabor que só um doce português tem a oferecer".

Curiosamente, os doces portugueses foram tradicionalmente criados nos conventos, isto porque antigamente as freiras usavam a clara de ovo para engomar suas roupas e as dos padres. O resultado era um excesso de gemas inutilizadas. Para evitar o desperdício, elas começaram a criar os doces adicionando nada mais que leite e açúcar. Os famosos doces conventuais são hoje um patrimônio histórico da culinária portuguesa, que conquistou o mundo.

Inspiração
Quem vê Ana na correria do empreendedorismo, não imagina as batalhas que essa pernambucana teve que enfrentar e vencer. De família humilde, superou as dificuldades socioeconômicas, antes de lutar pela vida contra o câncer de mama. Sempre otimista, ela pensa em fazer seu negócio crescer e com isso ajudar também outras mulheres que passam pela situação que ela passou.

Durante seu tratamento, conheceu muitas pacientes, cada uma com sua própria história de luta contra o câncer e também de vida. "Uma das maiores lições nesse processo foi conhecer o projeto do Instituto Amor em Mechas , idealizado pela também paciente oncológica e vitoriosa Débora Pieretti, do qual eu fui uma das primeiras beneficiárias" - conta ela sobre o projeto de doação de perucas para pacientes oncológicas ou que convivam com alopecia, do qual é voluntária, que atualmente já doou mais de 2000 perucas ao redor do mundo.

Para ajudar o projeto, Ana promove e participa de eventos com o Instituto e também patrocina vários dos kits que são entregues às mulheres. Além disso, está criando uma linha própria do Ateliê da Nata, cujas vendas serão integralmente convertidas para a mesma causa.

"Eu me sinto realmente agradecida e, ao mesmo tempo felizarda, de poder retribuir tudo o que esse projeto fez por mim, quando eu mais precisava. Ele representa o espírito de solidariedade, o acolhimento, o amor entre as mulheres e é uma honra fazer a minha parte", conclui emocionada.

Perspectivas
A empresária já recebeu propostas de sociedade e até de franquia, mas garante que no momento está focada em fazer o atual negócio prosperar. "No momento quero consolidar minha especialidade, pastel de nata, no mercado. E difundir a sofisticada Barriga de Freira (hóstia recheada com creme de ovos)¨.

Potencial para este mercado não falta e para acompanhar tal crescimento a empreendedora também se atualiza com formações profissionais, como o curso de marketing digital do renomado Erico Rocha , que segundo a InfoMoney é o principal especialista de Marketing Digital para pequenos negócios online do Brasil. "Estou trabalhando em conjunto com uma agência de marketing , montando meu próprio curso online culinário, para poder compartilhar meus conhecimentos e dividir com o mundo a verdadeira arte da doçaria portuguesa", adianta a futura instrutora.



Website: http://www.ateliedanata.com.br
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp