MENU

15/12/2020 às 18h09min - Atualizada em 16/12/2020 às 00h00min

Consulta periódica ao ginecologista é principal forma de combater o câncer de colo de útero

A jornalista e apresentadora Fátima Bernardes divulgou em suas redes sociais que foi diagnosticada com a doença e vai dar início ao tratamento nos próximos dias

SALA DA NOTÍCIA Sandra Cunha
Consulta periódica ao ginecologista é principal forma de combater o câncer de colo de útero

A jornalista e apresentadora Fátima Bernardes divulgou em suas redes sociais que foi diagnosticada com a doença e vai dar início ao tratamento nos próximos dias

A jornalista apresentadora do programa Encontro, Fátima Bernardes, revelou em suas redes sociais nesta quarta-feira (02) ter sido diagnosticada com câncer no colo do útero. De acordo com ela, a doença foi descoberta em estágio inicial e ela precisará passar por um procedimento cirúrgico para a retirada do tumor. Dados do Instituto Nacional do Câncer (INCA) apontam que devem ser registrados 16.590 novos casos da doença este ano no Brasil.
Com exceção do câncer de pele não melanoma, o câncer de colo de útero é o terceiro tumor maligno mais frequente na população feminina, ficando atrás apenas do câncer de mama e do colorretal, e a quarta causa de morte de mulheres por câncer no Brasil. O ginecologista e obstetra Wagner Barbosa Dias explica se tratar de um tumor que se desenvolve a partir de alterações no colo do útero, localizado no fundo da vagina. “É uma doença com excelente perspectiva de tratamento, principalmente quando diagnosticado rapidamente, como ocorreu com a Fátima Bernardes. Isso faz toda a diferença no protocolo de atendimento”, salientou o médico.
De acordo com Dias, o câncer de colo de útero em estágio inicial não costuma apresentar sinais ou sintomas. Porém, quando não tratada, a enfermidade pode evoluir e surgirem problemas como sangramento vaginal, corrimento e dor.
ORIGEM
Dias esclarece que o câncer do colo do útero é causado pela infecção persistente por alguns tipos do Papilomavírus Humano – o HPV. “É um vírus bastante comum e que, em geral, não causa doença. Porém, cada mulher tem sua própria história e cada organismo responde de forma diferente a um vírus. Em alguns casos, podem ocorrer alterações celulares que podem se transformar em câncer”, afirma.
O médico fala que o combate ao câncer de colo de útero é feito, principalmente, de forma preventiva, a partir das consultas periódicas com o ginecologista com a realização de exames de Papanicolau e captura híbrida, ambos realizados no próprio consultório.


WAGNER BARBOSA DIAS
Wagner Barbosa Dias é médico ginecologista e obstetra, graduado pela Universidade Federal do Paraná (UFPR). Fez residência médica no Hospital de Clínicas da UFPR e é especializado em Gestação Alto Risco, Ultrassonografia em Medicina Fetal e Saúde Coletiva.
 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp