MENU

23/02/2021 às 08h26min - Atualizada em 23/02/2021 às 08h26min

Notícia sobre corpo encontrado em Carlópolis ser de jovem siqueirense não é oficial, afirma IML

Cadáver foi reconhecido por um familiar da vítima, mas polícia e IML aguardam resultados de exames para confirmar ou não a informação

Folha Extra
Divulgação
O desaparecimento de uma jovem no município de Siqueira Campos causou comoção entre amigos e familiares de Isabele da Silva Breves, situação que se tornou ainda pior após um corpo feminino ser encontrado na represa de Carlópolis e notícias se espalharem pelas redes sociais durante o final de semana dando conta de que o cadáver seria da jovem. Nesta segunda-feira (22), outra notícia de que o corpo não seria de Isabele causou confusão entre as pessoas que acompanham o caso. A Folha Apurou a situação.

Tudo começou na última quinta-feira (18) quando populares encontraram um corpo em avançado estado de decomposição na represa de Xavantes próximo a zona urbana do município de Carlópolis. Equipes policiais foram acionadas e estiveram no local, sendo constatado que se tratava do corpo de uma mulher que estava com mãos e pés amarrados.

Como de praxe, o corpo foi encaminhado ao IML (Instituto Médico Legal) de Jacarezinho para ser submetido a exames visando levantar sua identidade e causas da morte. A Folha conversou com o perito responsável pela unidade, Evandro Seabra, que explicou o caso. “Legalmente, não há nenhuma informação oficial por parte da equipe do IML de que o corpo seja desta jovem que estava desaparecida”, afirmou o perito.

Segundo ele, de fato um parente de Isabele esteve na unidade e ele teria informado que se tratava do corpo da jovem. “Como a jovem estava desaparecida e chegou um corpo feminino, naturalmente foi informada a família. Assim, um familiar esteve no local e afirmou que o corpo seria de Isabele, apenas isso”, disse Evandro.

O perito disse não poder afirmar legalmente que o corpo seja da jovem, pois como se trata de um caso que está em investigação envolvendo desaparecimento de menor e uma provável execução, a informação será repassada diretamente a polícia para não atrapalhar as investigações.

“Não queremos dar falsas esperanças a ninguém, mas existe uma questão legal em torno deste caso. O corpo está em avançado estado de decomposição para que alguém que não seja um familiar próximo possa afirmar que seja ela. O que nos cabe é realizar todos os procedimentos legais. Colhemos material genético do corpo e encaminhados para que seja realizado o DNA em um laboratório em Curitiba e também deve ser realizado o exame da arcada dentária para comparar com o da jovem. Apenas após o resultado destes exames que o IML vai ter uma posição oficial para confirmar ou não se é ela”, explicou.

E agora?

Evandro afirmou que o corpo encontrado na represa segue no IML aguardando o resultado dos exames e, caso seja confirmado que é da jovem siqueirense, será liberado a família. “Nesses casos o procedimento é manter o corpo aqui, pois só podemos liberar diante de uma decisão legal que acontece por meio do resultado positivo dos exames que confirmem que o corpo é de Isabele. Do contrário, cabe a família enlutada da jovem ingressar com uma ação judicial requerendo a liberação do corpo, o que vai ser analisado pelo Juiz que definirá o que deve ser feito”, explicou.

Em contato com o delegado Juliano Fonseca, este informou a reportagem que as investigações seguem sendo realizadas. “Estamos trabalhando com duas linhas, que a jovem tenha desaparecido ou sido sequestrada. Em relação ao cadáver que está no IML, já providenciamos as imagens de raio-X para encaminhar para realização de exames de identificação da arcada dentária, pois o DNA pode demorar de quatro a seis meses. Assim, agora as investigações seguem com a hipótese de que a jovem tenha sido morta, mas nada oficial. Seguimos ouvindo testemunhas e apurando o caso”, explicou.

 

Desaparecida

O caso que da menor de 17 anos que, aparentemente pode ter tido um desfecho trágico, começou no fim do mês passado. No dia 28 de janeiro familiares da jovem registraram um boletim de ocorrência informando o seu desaparecimento. Segundo o B.O, Isabele teria sido vista pela última vez na Rua Nossa Senhora de Fátima, no Centro de Siqueira Campos, e desde então não foi mais vista. Um suposto namorado da jovem também teria sumido da cidade, mas nenhum documento oficial foi registrado.
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp