27/04/2021 às 15h31min - Atualizada em 27/04/2021 às 15h31min

​Moradores manifestam contra falta de água em Ribeirão Claro

Ação visa chamar a atenção das autoridades para a escassez de água em bairros há uma semana

Tribuna do Vale
Divulgação
Um grupo de moradores de Ribeirão Claro se reuniu na tarde desta segunda-feira, 26, para protestar contra a falta de água em vários bairros da cidade há aproximadamente uma semana. Em nota nas redes sociais, o Serviço Autônomo de Água e Esgoto (SAAE) comunica está trabalhando para que o problema seja resolvido o mais rápido possível, entretanto necessitará de equipamentos especiais para a manobra e somente uma empresa especializada poderá realizar.

A manifestação realizada de forma pacífica, reuniu aproximadamente 30 moradores que se revoltaram com a escassez de água na cidade há dias. A ação teve início no bairro Bechara e os manifestantes percorreram até a frente da Câmara dos Vereadores. O manifesto, buscou chamar atenção das autoridades para a falta de água, pedindo por soluções emergenciais.

Entre os principais bairros afetados estão: Bechara I, II, III e IV, Residencial Monte Claro, Luiz Carlos Paraná, Parque Industrial e Jácomo Domingues Mio.

O SAAE justifica que ocorre a falta de água nestes pontos porque a bomba d’água do poço artesiano que abastece o reservatório de 500 mil litros, localizado no Distrito Industrial, queimou. Com isso alguns bairros sofrerão com o desabastecimento, até que a bomba seja substituída. “Estará sendo instalada uma bomba provisória, com capacidade reduzida, uma vez que a específica, que é a necessária, não se encontra fornecedor para entrega imediata. Sabemos o quanto é difícil essa situação, e pedimos a compreensão de todos utilizando a água de forma racional, priorizando a alimentação e higiene pessoal. Enquanto a substituição da bomba não acontece, a equipe do SAAE está trabalhando para levar água até os reservatórios que abastece as referidas localidades”, esclarece a autarquia em nota.

Nas imagens enviadas à Tribuna do Vale, os manifestantes mostram crianças e adultos em filas com bacias e baldes esperando para pegar água do caminhão pipa, para suprir as necessidades das famílias.  

A moradora, Deide Screpante, é uma das vítimas da falta de água no Município. Revoltada com a situação ela classifica como situação precária a crise hídrica que se instala em Ribeirão Claro. “Não precisamos viver isso. Estamos em meio a um deserto numa cidade que é tão rica em água. Não queremos discutir política, só queremos que a água volta a ser fornecida em nossas torneiras”, solicita.

De acordo com a moradora, a falta de água no Município não é de hoje, mas os cortes eram realizados num intervalo curto. “Moro há 52 anos aqui e nunca vi uma situação dessa. O SAAE nos deu previsão de talvez normalizar os serviços na terça-feira, 27”, disse.

O secretário Municipal de Administração e Finanças, Fábio de Lucca, reconhece que a cidade vem passando por uma crise hídrica sem precedentes, como já divulgado há duas semanas. A estiagem está afetando o abastecimento de água no Município, pois, o Ribeirão dos Antunes, principal fonte de captação na cidade teve uma queda de 40% na captação de água. Para piorar, dois poços artesianos estão paralisados há mais de um ano.

“Com essa baixa do Ribeirão Antunes, as bombas dos poços artesianos estão trabalhando com mais intensidade para suprir a carência de água. Isso veio afetar principalmente as bombas que estão há muito tempo sem manutenção (bombas antigas) e somente neste ano já tivemos três bombas queimadas. A situação está complicada porque não foi feito nenhum trabalho preventivo nesta questão. Um poço artesiano com capacidade de um milhão de litros está desativado”, explica.

Fábio esclarece não há bomba substituta de reserva. Inclusive todo abastecimento de água na cidade foi deixado sem nenhum equipamento para substituir. “Já conseguimos adquirir uma bomba similar para suprir a demanda emergencialmente, até uma solução definitiva”, justifica.

A prefeitura informa que na manhã desta terça-feira, 27, uma empresa especializada vai sacar a bomba queimada e fazer a instalação de outra para resolver com urgência o problema. “Infelizmente assumimos o município desta forma, mas a equipe do SAAE vem trabalhando dia e noite com o objetivo de normalizar os serviços para a população. Estamos com quatro caminhões pipa fazendo os serviços para atender as famílias. As residências que mais estão sofrendo com o problema são as que não tem caixa d’água. Estamos fazendo o possível para atender a todos. E já estamos com recurso reservado para perfuração de um novo poço artesiano. O prefeito João Carlos Bonato também já conseguiu a perfuração de mais dois poços artesianos com o Governo do Estado, mas ainda não há previsão”, finaliza. 


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp