MENU

31/05/2021 às 15h33min - Atualizada em 31/05/2021 às 15h33min

​Da lavoura à xícara: café vira roteiro de turismo rural no Norte Pioneiro

Em junho, três cidades já começam a receber visitantes; agendamento de visitas já começou

Lucas Catanho especial para a FOLHA
Divulgação
O Norte Pioneiro do Paraná acaba de ganhar 7 opções de roteiros de turismo rural, em que visitantes poderão conhecer, a partir de junho, propriedades de mulheres cafeicultoras de 3 municípios. Nesta primeira fase, participam donas de propriedades de Pinhalão (3 roteiros), Carlópolis (3 roteiros) e Tomazina (1 roteiro), mas a proposta é expandir os roteiros a outros municípios em breve. 

Entre os atrativos, os visitantes poderão conhecer as instalações de colheita e secagem, encerrando com café da manhã ou da tarde. Terão ainda oportunidade de visitar agroindústrias, além de laboratório e oficina de classificação e degustação de cafés. 

Fazem parte ainda da programação dos roteiros o almoço típico rural, a hospedagem e vivência na propriedade. Cada propriedade/atrativo terá um custo, sendo que o visitante terá a opção de escolher entre roteiros de quatro horas até de dois dias.

O programa de roteiros turísticos é denominado Caminho dos Cafés das Mulheres. Surgiu a partir de conversas entre as integrantes do projeto Mulheres do Café do Norte Pioneiro do Paraná e técnicas do IDR (Instituto de Desenvolvimento Rural), mantenedor do projeto (leia mais abaixo).

“Serão roteiros rurais em que os visitantes terão oportunidade de conhecer um pouco do dia a dia da produção, desde a colheita dos grãos até o café chegar às xícaras. Além disso, saberão mais sobre o modo de vida dessas mulheres cafeicultoras do projeto. O projeto ainda contemplará em breve trajetos para caminhadas longas e cicloturismo”, explica Luciana Morais, extensionista do IDR Paraná.

Portas abertas
O Sítio São Luiz, da família da cafeicultora Maristela da Silva Souza, em Tomazina, abrirá as portas para os turistas a partir de 15 de junho. E os visitantes terão uma série de atrativos para conhecer (e degustar). 

Os visitantes conhecerão todos os processos pelos quais passa o café, desde a colheita até chegar à xícara. Inclusive, Maristela e o marido, Valdeir Luiz de Souza, produzem o premiado Café São Luiz, tricampeão na categoria cereja descascado nas edições de 2017, 2018 e 2019 do concurso Café Qualidade Paraná.

“Vamos mostrar os processos de colheita e de pós-colheita, e ofereceremos hospedagem para ter essa convivência com os visitantes. Claro que eles poderão saborear um café especial oferecido por nós e degustar comidas típicas do sítio”, explica Maristela. Gostando da prova, os turistas poderão adquirir o Café São Luiz em duas versões: torrado e moído ou torrado em grão.

“Amo contar sobre o nosso trabalho para as pessoas. Se eu não tiver visita, para quem eu vou contar? A gente faz isso com muito amor, então queremos mostrar o que fazemos na nossa propriedade.”

Como a casa da família é grande, não foi possível qualquer adaptação para receber os turistas. “Temos dois quartos disponíveis para oferecer hospedagem na nossa casa.”

Continue lendo na matéria especial de Lucas Catanho para a FOLHA

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp