MENU

03/04/2020 às 17h58min - Atualizada em 03/04/2020 às 17h58min

Em pesquisa com atletas olímpicos brasileiros, 77% dizem temer infecção pelo coronavírus

David Abramvezt e Raiana Monteiro - Globo Esporte
Reuters/Athit Perawongmetha
 
Uma pesquisa elaborada e aplicada pelo GloboEsporte.com apontou que 77% dos atletas brasileiros temem ser infectados pelo coronavírus, uma média de quase três em cada quatro. Foram ouvidos 209 desportistas do país das 50 modalidades olímpicas. Em meio a eles, atletas já classificados ou na briga por uma vaga nas Olimpíadas de Tóquio, que foram adiadas para 2021.
O levantamento aconteceu entre a última terça-feira (31/3) e esta sexta-feira (3/4). Eles responderam "sim" ou "não" a dez perguntas envolvendo os desdobramentos no esporte da pandemia global que causou o adiamento dos Jogos Olímpicos pela primeira vez desde a Segunda Guerra Mundial. Até domingo, o GloboEsporte.com mostrará outros dados do levantamento.
A primeira questão da pesquisa era simples: você tem medo de ser infectado pelo coronavírus? 77% responderam que "sim", que temem, e só 23% responderam "não", que não temem.
- Sim, eu tenho medo, mas não só eu. Acho que o mundo todo tem medo. Ninguém quer pegar o coronavírus. Então, acho que a gente precisa se cuidar. É preciso cuidar de você e do próximo - comentou a ginasta Flávia Saraiva, que foi quinta colocada na trave da Rio 2016 e tem vaga assegurada nas Olimpíadas de Tóquio.
Você tem medo de ser infectado pelo coronavírus?
Histórico de atleta?
Na semana passada, o presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), em pronunciamento em rede nacional, disse que a infecção viral para a maioria das pessoas não passaria de uma "gripezinha" ou "resfriadinho" e argumentou que ele não teria problema "pelo seu histórico de atleta." A declaração gerou polêmica no meio científico. Cada entrevistado também respondeu se achava que o fato de ele ser atleta o faria sofrer menos caso fosse infectado com Covid-19. E, com isso, não ser um caso mais sério, que necessitaria de atendimento médico intensivo.
Os atletas que participaram da pesquisa ficaram divididos. A maioria, 57% dos desportistas profissionais, não acham que estão imunes a ter um caso mais sério da Covid-19. E 43% acharam que, por serem atletas, não sofreriam tanto com a doença.
- O fato de ser atleta não influencia muito. Eu vi um relato de um campeão olímpico que foi afetado (o nadador sul-africano Cameron van der Burgh), dizendo que foi a pior gripe da vida dele. Então foi um relato que todo mundo que é do esporte acompanhou bastante. Eu acho que a gente não sofreria menos com uma gripe desse nível. Eu acho que para o atleta estar condicionado, ele precisa estar treinando. Então, se eu sou um ex-atleta há muito tempo, eu estou tão suscetível quanto as outras pessoas - disse o judoca Rafael Silva, ganhador de duas medalhas olímpicas de bronze e em busca de vaga nos Jogos de Tóquio.
Um dos que optaram por responder "sim", por acreditar que o fato de ser atleta o faria sofrer menos em caso de infecção pelo coronavírus foi o levantador Bruninho, de 33 anos, ganhador de um ouro e duas pratas em Jogos Olímpicos com a seleção brasileira de vôlei.
- Acredito que sim, por ser atleta e por ser mais jovem. A gente viu que são casos raros, mas que aconteceram também com atletas e ex-atletas. Mas acredito que, com certeza, eu sofreria menos do que pessoas com mais risco - comentou Bruninho.
"Você acredita que o fato de você ser atleta o(a) faria sofrer menos caso fosse infectado(a) com Covid-19 e não ser um caso mais sério, que necessita de atendimento médico intensivo?"
Adiamento das Olimpíadas
Como vinha sendo visto desde o adiamento das Olimpíadas de Tóquio, anunciado na terça-feira da semana passada (24/3), a pesquisa também deixou claro que os atletas brasileiros concordam com a decisão tomada em conjunto entre o Japão e o Comitê Olímpico Internacional.
Nesta questão, 97% dos atletas brasileiros disseram ser favoráveis à decisão de adiar os Jogos. E apenas 3% optaram pela resposta "não", por não concordarem.
- Ainda bem que a mudança de data aconteceu. A pressão de todos os países era bastante válida. Muitos atletas pressionaram também. O mundo está vivendo uma situação muito complicada, muitos países não conseguiriam mandar as suas delegações e os treinos dos atletas também estão muito comprometidos - comentou o judoca Rafael Silva, que tenta vaga nos Jogos de Tóquio para buscar sua terceira medalha olímpica, após os bronzes de Londres 2012 e Rio 2016.
Você concordou com o adiamento das Olimpíadas para julho de 2021?

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp