MENU

06/08/2021 às 21h46min - Atualizada em 07/08/2021 às 00h00min

Covid: Decreto regulamenta o funcionamento de cinemas e teatros em Londrina

Segundo a prefeitura, operação deve ser com até 50% da capacidade, intervalos de 30 minutos, higienização de ambientes e outras medidas. Descumprimento gera interdição e multas de R$ 1 mil até R$ 120 mil.

G1 - Norte, Nordeste PR
https://g1.globo.com/pr/norte-noroeste/noticia/2021/08/06/covid-decreto-regulamenta-o-funcionamento-de-cinemas-e-teatros-em-londrina.ghtml

Segundo a prefeitura, operação deve ser com até 50% da capacidade, intervalos de 30 minutos, higienização de ambientes e outras medidas. Descumprimento gera interdição e multas de R$ 1 mil até R$ 120 mil. Covid: Decreto regulamenta o funcionamento de cinemas e teatros em Londrina
Divulgação/Cinesystem
A Prefeitura de Londrina, no norte do Paraná, publicou um novo decreto sobre o funcionamento de alguns serviços durante a pandemia da Covid-19, nesta sexta-feira (6). O documento regulamentou o funcionamento de cinemas e teatros.
No início da semana, os cinemas da cidade já haviam retomado as atividades com 50% da ocupação e outras medidas sanitárias e de segurança.
Pelo novo regramento, os estabelecimentos precisam limitar o número de pessoas presentes em, no máximo, 50% da capacidade do local, com uso obrigatório de máscara e disponibilização de álcool 70% com fácil acesso em salas, ambientes e demais pontos estratégicos.
O número máximo de clientes autorizados a entrar deve ser informado por placa ou cartaz afixado em todas as entradas e pontos de atendimento, em local de fácil visualização.
CORONAVÍRUS NO PARANÁ: Veja as principais notícias
ACOMPANHE: Média móvel de mortes e casos no estado
VACINAÇÃO NO PARANÁ: Veja perguntas e respostas
Segundo a prefeitura, devem ser adotados, preferencialmente, sistema de venda de ingressos pela internet, bem como horários escalonados para início e fim de cada sessão em cada sala, visando evitar a aglomeração de pessoas.
Os intervalos entre sessões deve ser de 30 minutos, no mínimo, e os locais devem ser totalmente higienizados. A limpeza tem de ocorrer antes e depois de cada sessão.
Ainda conforme o município, é obrigatória a medição de temperatura corporal instantânea com termômetro por aproximação, ficando proibida a entrada de qualquer pessoa com mais de 37,5º C.
Da mesma forma, é necessário conter a demarcação para manter distanciamento básico de, no mínimo, 1,5 metros, em qualquer direção, entre os frequentadores.
Em caso de formação de fila, o estabelecimento precisa organizá-la respeitando o distanciamento adequado, incluindo marcações bem sinalizadas.
Proteção e higiene
Outra regra definida é a instalação e uso de anteparo mecânico fixo como proteção para os pontos de atendimentos e caixas, evitando o contato direto entre atendente e cliente, ou fornecimento de máscara de proteção facial.
De acordo com a prefeitura, orientações básicas devem ser reforçadas, como a higienização correta das mãos para manuseio de máquinas de cartão e toques em superfícies.
É obrigatória a disponibilização e manutenção de sanitários limpos e higienizados, com água e sabonete líquido, álcool em gel 70% e toalhas descartáveis.
Além disso, será obrigatória a higienização contínua das áreas de uso comum, bem como nos de uso restrito de maior acesso e circulação, tais como banheiros, bilheterias, corredores, bomboniere e outras.
As casas estão obrigadas a fazer uso de sistema de ar condicionado com renovação do ar, de forma ampla e automática, por meio de entradas e saídas por dutos independentes.
Colaboradores
Quanto aos trabalhadores e prestadores de serviços desses estabelecimentos, fica recomendado o afastamento de pessoas idosas, portadores de doenças crônicas e gestantes de risco, com indicação para a adoção do sistema remoto de trabalho.
Todos os colaboradores precisam receber máscaras de proteção mecânica.
Penalidades
Conforme a administração municipal, caso as normas sejam descumpridas, estão previstas sanções para os responsáveis pelos estabelecimentos e agentes infratores.
As penalidades incluem a interdição do estabelecimento com suspensão total das atividades, pelo prazo de três dias; multas de R$ 30 por metro quadrado da área útil utilizada pelo infrator para as atividades, podendo variar de R$ 1 mil até R$ 120 mil; ainda poderá haver a cassação do alvará de licença.
A constatação da infração, notificação do infrator e aplicação das respectivas penalidades serão de responsabilidade das secretarias municipais de Fazenda, Saúde, Defesa Social (Guarda Municipal), além do PROCON-LD e Polícia Militar do Paraná.
VÍDEOS: Paraná
Veja mais notícias da região no G1 Norte e Noroeste.

Fonte: https://g1.globo.com/pr/norte-noroeste/noticia/2021/08/06/covid-decreto-regulamenta-o-funcionamento-de-cinemas-e-teatros-em-londrina.ghtml
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp