MENU

09/08/2021 às 22h09min - Atualizada em 10/08/2021 às 00h50min

Investigação apura morte de presa na penitenciária feminina de Piraquara após família contestar tese de suicídio

Adriana Lara Soares, de 42 anos, foi encontrada na cela no final de julho, e presas que dividiam o espaço disseram que ela se enforcou; laudo do IML apontou morte por estrangulamento.

G1 - Norte, Nordeste PR
https://g1.globo.com/pr/parana/noticia/2021/08/09/policia-investiga-morte-de-presa-na-penitenciaria-feminina-de-piraquara-apos-familia-contestar-que-tenha-havido-suicidio.ghtml

Adriana Lara Soares, de 42 anos, foi encontrada na cela no final de julho, e presas que dividiam o espaço disseram que ela se enforcou; laudo do IML apontou morte por estrangulamento. Morte em presídio feminino é investigada
Uma investigação apura a morte de uma detenta dentro de uma cela da Penitenciária Feminina do Paraná, em Piraquara, na Região Metropolitana de Curitiba.
Adriana Lara Soares, de 42 anos, foi encontrada morta entre a noite de 29 de julho e o dia 30. Segundo o Departamento Penitenciário do Paraná (Depen-PR), as duas outras presas que dividiam o espaço com a detenta disseram que ela havia se enforcado.
Um laudo do Instituto Médico-Legal (IML) apontou que Adriana foi morta por estrangulamento.
"A cordinha, o elástico que foi usado não seria capaz de suplantar o peso da vítima. Também ela estava deitada no chão e com vários hematomas que demonstram agressões, inclusive por unhas e situações que foram contundentes", afirmou o advogado Alexandre Braga.
A família, que contestou a tese de suicídio no caso, contratou um advogado e pretende pedir indenização contra o Estado. Os filhos pedem investigação para identificar autores e a motivação da morte.
Adriana Lara Soares, de 42 anos, foi encontrada morta em uma cela da Penitenciária Feminina de Piraquara
Reprodução/RPC
A vítima, segundo o Depen, tinha sido condenada a cinco anos de prisão por roubo e havia cumprido sete meses da pena. Ela trabalhava dentro da penitenciária e era considerada uma presa de bom comportamento.
"Foi condenada pelos atos que ela fez, estava lá para cumprir o erro dela e não uma condenação à morte, para entregarem minha mãe desse jeito. Causa revolta, porque dá para ver que tem mentira e não sabem me explicar o que aconteceu", disse o filho Kawê Soares.
De acordo com a família, o dinheiro que Adriana ganhava trabalhando na penitenciária ajudava no sustento dos quatro filhos.
A Secretaria de Estado da Segurança Pública do Paraná (Sesp-PR) informou que "a detenta foi localizada por agentes penitenciárias após presas solicitarem atendimento. A equipe de plantão realizou o primeiro atendimento de Adriana até a chegada do Samu, que constatou o óbito".
Ainda conforme a secretaria e o Depen, a polícia e o Instituto de Criminalística estiveram no local e uma perícia foi realizada.
A Sesp disse que um inquérito policial e um procedimento administrativo devem apurar as circunstâncias da morte e destacou que está acompanhando o caso.
Polícia investiga morte de presa na Penitenciária Feminina de Piraquara após família contestar que tenha havido suicídio
Reprodução/RPC
Assista aos vídeos mais acessados do G1 PR
Veja mais notícias do estado no G1 Paraná.

Fonte: https://g1.globo.com/pr/parana/noticia/2021/08/09/policia-investiga-morte-de-presa-na-penitenciaria-feminina-de-piraquara-apos-familia-contestar-que-tenha-havido-suicidio.ghtml
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp