03/08/2022 às 12h16min - Atualizada em 03/08/2022 às 12h16min

​Ligado ao PCC, acusado de participar de ataque a bancos em Cambará é preso em São Paulo

Homem ainda é suspeito de ser um dos líderes da quadrilha que atacou bancos em Ourinhos em 2020

Redação PortalJNN - Com folhadaregiao.com.br e band.uol.com.br
Divulgação
Danilo dos Santos Albino mais conhecido como "Bonitinho do PCC" foi preso na Rodovia Fernão Dias, na cidade de Atibaia, no interior de São Paulo, durante uma blitz da Polícia Rodoviária Federal (PRF) nesta segunda-feira (1). Ele é acusado de participar do ataque a bancos na cidade de Cambará em abril de 2021.

Ainda segundo as investigações, Danilo é suspeito de participar e até ser um dos líderes da quadrilha do "novo cangaço" que atacou bancos em Ourinhos (SP) em maio de 2020 e outros assaltos da mesma natureza em agosto de 2021 em Araçatuba (SP). Ele era um dos suspeitos mais procurados do país.

Danilo tinha quatro mandados de prisão por crimes cometidos entre 2015 e 2021. Entre as acusações, estão a formação de quadrilha com fuzis, uso de explosivos em carros blindados e uso de civis como escudos humanos. Ele teria roubado cerca de R$ 2 milhões durante assaltos.

Blitz
O carro conduzido por Danilo foi abordado em uma blitz de rotina da PRF por volta das 15h30 de segunda na BR-381, conhecida como rodovia Fernão Dias. Os agentes suspeitaram da atitude dele que apresentou documento de identidade falso e não soube dar detalhes sobre o Pará, que constava como seu estado de nascimento. Quando foi informado que seria conduzido para verificação dos dados ele confessou a verdadeira identidade.

Histórico
Danilo possui passagens pela polícia por roubo, furto, receptação e associação criminosa e foi preso em 2015 por um assalto a banco na região de Campinas, mas fugiu da penitenciária de Valparaíso em 2018. Atualmente tinha quatro mandados de prisão em aberto.

Novo cangaço
Segundo o Ministério da Justiça e Segurança Pública, Albino também tinha ligação com ações de “domínio de cidades”, uma atividade do “novo cangaço”, que mantinha a população dos municípios em clima de medo.

Além de Danilo, outros três homens eram apontados como líderes do “novo cangaço”, que foram mortos em confrontos policiais no período de um mês. Em 31 de maio, foi morto Raimundo Aparecido dos Santos, conhecido como Dica.

Ele foi abordado por policiais na zona rural de Luziânia (GO), no Entorno do Distrito Federal. A Polícia Militar afirma que houve troca de tiros e Dica acabou baleado. Ele levava armas e uma carteira de identidade falsa.

Dica era apontado como fornecedor de armas para os 25 membros de uma quadrilha que foram mortos em Varginha (MG), quando se preparavam para realizar um assalto a um banco. O caso ficou conhecido como a ação policial mais letal do país contra o “novo cangaço”. Em 23 de junho, a polícia matou Gewides Moreira dos Santos, o Cocheba.

Ele passava de carro pela zona rural de Peixe (TO), quando foi abordado por policiais civis e militares do Tocantins. Por fim, Edvaldo Silva Santos, o Edvaldo da Manga, foi morto a tiros. Ele estava com a esposa e filhos em uma rua de Cabrobó (PE), quando foi atingido por disparos de dois suspeitos que estavam de moto.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp